Agricultoras de Itabaiana vão fabricar doces e bolos caseiros em assentamento

Por |

emater genivalUm grupo de sete mulheres agricultoras do Assentamento Almir Muniz, em Itabaiana, no Vale do Paraíba, recebeu orientações da Emater-PB para a construção de uma cozinha comunitária para fabricação de bolos e doces caseiros. O objetivo é que elas possam comercializar aos programas de compras governamentais e no mercado local.

Na quinta-feira, dia 23, os assessores estaduais de Agroindústria Genival Soares e Ehremberg Pereira Melo e o técnico em Cooperativismo Fábio Sousa, do escritório da Emater em São Miguel de Taipu, na companhia do diretor de Agricultura da Prefeitura Municipal de Itabaiana, Sousa Filho, estiveram no assentamento para conhecer e formalizar o projeto, ficando definido que a partir de agora estes farão o acompanhamento para a implantação do projeto.

Os técnicos constataram no assentamento que a comercialização representa um grande entrave ao desenvolvimento da agricultura familiar local, ficando os agricultores sempre na dependência de terceiros para intermediar a venda de seus produtos, comentou a agricultora Claudijanes da Silva Dias, integrante do grupo de mulheres que a partir de agora conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, e da Prefeitura Municipal de Itabaiana para implantar o projeto de beneficiamento da produção agrícola local.

O prefeito Lucio Flávio de Araujo Costa, já se comprometeu em adquirir a produção para distribuição entre a rede escolar e hospitalar do município.

“O desenvolvimento sustentável da agricultura familiar busca soluções e alternativas para atender aos interesses da população, sempre procurando valorizar o espaço rural e sua cultura”, lembra Fábio Sousa, técnico em Cooperativismo que, junto com extensionistas da Emater de Itabaiana, sob a coordenação de Paulo Emilio, coordenador regional da empresa de extensão rural em Itabaiana, acompanhará este grupo de agricultoras.

A unidade agroindustrial vai beneficiar, inicialmente, a fabricação de bolos e doces, com a utilização de produtos agrícolas trabalhados no próprio assentamento.

Redação