Nesta quarta (17) tem duelo de goleiros candidatos a herói no Flamengo x São Paulo

Por |

A história das competições mata-mata geralmente eterniza goleiros como grandes personagens. Nesta quarta, São Paulo e Flamengo se enfrentam pelas quartas de final da Copa do Brasil e têm em Tiago Volpi e Diego Alves candidatos a heróis.

Os arqueiros vão ficar ainda mais em evidência em caso de disputa de pênalti, o que ocorrerá no caso de o Flamengo, derrotado por 2 a 1 no Maracanã, conseguir vencer o São Paulo no Morumbi por um gol de diferença.

Volpi já mostrou suas credenciais nos últimos confrontos. Na vitória por 4 a 1, no Brasileiro, além da grande atuação, brilhou com a defesa dos pênaltis cobrados por Pedro e Bruno Henrique. No 2 a 1 da Copa do Brasil, diante de Rogério Ceni, maior goleiro da história do São Paulo, teve mais um ótimo desempenho.

O goleiro é um dos principais pilares do time de Fernando Diniz e único titular a atuar em todos os 18 jogos do São Paulo no Brasileirão. Além da importância debaixo das traves, é peça fundamental para iniciar a saída de bola, seja com passes curtos ou em bolas longas, como no lançamento que virou assistência para Luciano no quarto gol contra o Flamengo.

Volpi por pouco não foi goleiro do Flamengo

Pedra no sapato do Flamengo nos últimos duelos, Volpi esteve muito perto de vestir rubro-negro no início de 2019. O goleiro já tinha um acerto encaminhado com o Flamengo, mas a diretoria se entendeu com Diego Alves, que estava afastado do elenco antes da chegada de Abel Braga, e desistiu do negócio. Volpi mudou o destino de sua passagem e foi para São Paulo.

Diego Alves foi peça importante nas conquistas recentes e estará de volta ao posto de titular nesta quarta no lugar de Hugo. Ele construiu durante sua carreira na Europa e confirmou no Flamengo a fama de ser um ótimo pegador de pênaltis. No currículo tem cobranças defendidas de jogadores como Messi, Cristiano Ronaldo e Griezmann.

O goleiro foi poupado no jogo contra o Atlético-GO por precaução por causa das fortes cãibras que sentiu na primeira partida contra o São Paulo.

– O Diego Alves teve cãibras muito fortes nas duas pernas. Ficou de fora por isso. Mas na quarta é o Diego que sai jogando – afirmou Ceni.

A pendência sobre sua renovação contratual, que termina no fim de dezembro, ainda incomoda Diego Alves. O goleiro chegou a aceitar uma oferta feita pelo departamento de futebol do clube, mas a área financeira, por fim, vetou e criou um impasse ainda não resolvido.

Redação com G1