Em entrevista recente, candidato Nilvan tratou alvo da PF como “sustentáculo” político e citou intenção de levá-lo para PMJP

Por |

A “Operação Poço Sem Fundo” deflagrada pela Polícia Federal (PF), Controladoria Geral da União (CGU) e Ministério Público Federal (MPF), na manhã desta quarta-feira (25), caiu como uma bomba dentro do MDB da Paraíba e de João Pessoa. É que entre os alvos, está o presidente do Diretório Municipal da legenda na Capital e coordenador Estadual do DNOCS na Paraíba, Alberto Gomes, conhecido como “Esquerdinha”.

Conhecido pela atuação sempre nos bastidores, principalmente, junto ao senador José Maranhão, o nome do auxiliar do MDB chamou a atenção porque ele seria uma espécie de coordenador político da campanha do candidato a prefeito da Capital, Nilvan Ferreira.

Em entrevista recente, concedida pelo próprio Nilvan Ferreira ao programa F5 da Rádio Pop FM, Nilvan Ferreira, comentou sobre a atuação de “Esquerdinha”, e classificou o presidente do MDB de João Pessoa como “fundamental” nas suas decisões políticas, figurando como um dos principais homens fortes de seu agrupamento.

“Grande parceiro, meu presidente do MDB. Esquerdinha, do Dnocs, é meu presidente, meu braço direito, esquerdo e tudo. Esse cara me ajuda muito. Eu tenho ele como um grande companheiro de batalha. Sem ele, eu não teria avançado tanto em algumas questões. Procuro ser um cara muito justo e Esquerdinha tem sido um cara muito solidário. Na hora que eu vou conversar com políticos, de resolver grandes problemas, tem que ter ele, por que ele é uma espécie de sustentáculo que eu preciso durante essa campanha e vai ser um grande guerreiro de gestão por que eu não vou deixar esse cara sair de perto de mim nunca mais”, afirmou Nilvan.

Redação