Palmeiras busca empate no fim e acaba com chance de título do São Paulo

Por |

Em jogo brigado, com muitas polêmicas e poucas oportunidades, Tricolor marca com Luciano e resiste até os acréscimos – quando Rony decreta igualdade e encerra sonho do rival no Brasileirão

Fim do sonho

O São Paulo não tem mais chances de ser campeão brasileiro de 2020. E por questão de poucos minutos. Precisando de cinco resultados favoráveis para conquistar a taça, o Tricolor esteve muito perto de conquistar o primeiro deles – vencer o Palmeiras nesta sexta-feira, no Morumbi. No entanto, o Verdão buscou o empate por 1 a 1, nos acréscimos do segundo tempo, e encerrou o sonho tricolor em jogo atrasado da 34ª rodada do Brasileirão. O primeiro gol da partida foi marcado por Luciano, de pênalti, num clássico que teve muitos lances duros, polêmicas com a arbitragem e poucas chances criadas. O Verdão estragou o objetivo do rival com um gol de Rony, no finalzinho, e agora volta suas atenções para as finais da Copa do Brasil contra o Grêmio, daqui uma semana. Assista aos melhores momentos do clássico:

Como fica?

O empate leva o São Paulo aos 63 pontos, a seis do líder Internacional e a cinco do vice-líder Flamengo, que se enfrentam neste domingo – o que tira qualquer chance do Tricolor. O Palmeiras vai a 57 pontos, em sexto lugar.

E agora, Tricolor?

Sem chances de título, o São Paulo busca apenas confirmar sua vaga na fase de grupos da Libertadores. O time está a três pontos do Fluminense, quinto colocado, com seis pontos ainda a disputar. Além disso, há a briga de Luciano pela artilharia: o atacante chegou a 17 gols, igualando Marinho, Thiago Galhardo e Claudinho no topo da lista.

E agora, Verdão?

Como disse Felipe Melo após o jogo, o único objetivo do Palmeiras na reta final do Brasileirão era atrapalhar o rival São Paulo – não à toa, o técnico Abel Ferreira levou força máxima a campo. O time ainda cumpre tabela em mais dois jogos antes das finais da Copa do Brasil, contra o Grêmio, dias 28 de fevereiro e 7 de março.

Primeiro tempo

O ritmo da sexta-feira, quase fim de semana, entrou em campo nos pés de são-paulinos e palmeirenses. Os rivais fizeram um jogo muito brigado, disputado no setor intermediário e com pouca ousadia – foram apenas cinco finalizações no total. Sem grande interesse no Brasileirão, o Palmeiras ainda tentou se impor no início, criando uma chance pela esquerda que culminou em queda de Luiz Adriano na área e poderia ter sido pênalti. O Tricolor perdeu Gonzalo Carneiro por lesão com apenas dois minutos de jogo, e Pablo não entrou bem (de novo). O Tricolor especulou muito e criou pouco. A melhor chance foi com Igor Gomes, já no fim, em finalização que passou por cima do gol.

Segundo tempo

O jogo melhorou (um pouco), com o São Paulo entendendo a urgência de buscar a vitória e se lançando à frente, tentando ocupar o campo do Palmeiras, que se retraiu e buscou contra-ataques. O Tricolor, porém, deu pouco trabalho a Weverton até um pênalti cometido por Mayke, após um toque na bola com o braço. Luciano converteu e abriu o placar. O Palmeiras fez trocas, lançou Breno Lopes, Scarpa e Lucas Lima, e mostrou disposição para estragar os planos do rival. Na insistência, chegou ao gol com Rony aos 47 minutos, após se livrar de Juanfran, chutar e ver a bola desviar em Luan.

Central do Apito

No primeiro tempo, um lance de Luiz Adriano com Bruno Alves dentro da área gerou reclamações do Palmeiras, que pediu pênalti no atacante. O árbitro Leandro Vuaden sequer foi ao VAR. De acordo com o comentarista Sálvio Spinola, a penalidade deveria ter sido marcada: “O Bruno Alves não disputa a bola em momento nenhum. O agarrão causa impacto, se não tivesse poderia alcançar a bola. Para mim é pênalti que deve ser marcado”, disse. Na segunda etapa, o pênalti de Mayke, a favor do São Paulo, foi bem marcado na visão do comentarista.

Abel pistola

A arbitragem de Leandro Vuaden revoltou o técnico do Palmeiras, que reclamou muito do pênalti marcado para o São Paulo, disse que é “por culpa dos árbitros” que ele (Abel) iria embora e levou o terceiro cartão amarelo. Ele não estará no banco de reservas contra o Atlético-GO, na próxima segunda-feira.

Novo chefe de olho

Novo técnico do São Paulo, Hernán Crespo assistiu ao clássico das tribunas do Morumbi. Ele deve assumir a equipe só após o término do Brasileirão.

G1