Ney paga R$ 190 mil de pensão dentro de prazo recursal, mas tem prisão decretada

Por Mônica Bérgamo Folha de São Paulo - em 1 mês atrás 57

O ex-senador e suplente Ney Suassuna pagou R$ 190 mil de pensão alimentícia para o filho de 12 anos e, mesmo assim, teve a prisão decretada pela Justiça de São Paulo, nesta sexta-feira (7). A informação da prisão foi publicada pela jornalista Mônica Bérgamo, na Folha de São Paulo. A prisão, no entanto, foi suspensa porque o ex-senador pagou a dívida, ainda segundo informações da reportagem da Folha.

A pensão alimentícia seria no valor de cerca de R$ 35 mil ao mês, ainda segundo a Folha de São Paulo.

A decisão da prisão e a retirada dela foi de uma magistrada da 1ª Vara de Família e Sucessões do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a juíza Isabelle Ibrahim Brito.

O suplente do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB) estava devendo R$ 190 mil e foi cobrado na Justiça pela ex-esposa Raquel Suassuna, que foi sua secretária no Senado e, depois do divórcio, mudou-se para Portugal.

Ney Suassuna apresentou recurso na Justiça e apontou que o filho teria patrimônio próprio e que ele não precisaria pagar a pensão alimentícia. Mas o recurso foi negado pela Justiça em dezembro de 2023. Segundo a família dele, em contato com o ParlamentoPB, o prazo de recurso ainda estava em vigor e houve o pagamento antes da prisão ser decretada.

Em resposta à Folha, a defesa de Ney Suassuna, representada pelo advogado Elvis Paes, declarou que a decisão é precipitada porque o prazo de justificativa nem teve início.

    Sem tags.